Dicas de Mulher Moderna

Posts Tagged ‘relação

Com a correria do dia a dia e os inúmeros afazeres, a mulher, muitas vezes, acaba deixando a vida sexual em segundo plano e, com isso, pode prejudicar o relacionamento. “Não acredito que seja por falta de desejo, mas sim por tempo hábil e energia que muitas mulheres deixam o sexo em segundo plano. Com tantas responsabilidades, o sexo fica para o fim da noite, depois de ter trabalhado 8 horas, passado no mercado, cuidado dos filhos, etc. E depois das 11 h da noite toma um banho e, se não estiver exausta, quer ter um tempo para e-mails pessoais ou algo que deixou de fazer e, aí sim, o sexo”, diz Mariana Yamada, psicóloga especialista em relacionamentos da agência Lunch 42.

A principal reclamação dos homens é em relação à frequência, porque, no geral, eles veem o sexo de uma forma mais cotidiana do que as mulheres. Especialmente em situações em que o relacionamento é longo, propor algumas formas de apimentar a relação é fundamental. “O segredo é apimentar a relação na medida, conhecendo bem o seu parceiro e entendendo o que ele toparia ou não”, afirma.

Veja algumas dicas da especialista para aumentar o apetite sexual em longos relacionamentos:

  1. Converse sobre o tema. Tem casais juntos há vinte anos que apenas fazem sexo mas não conversam a respeito. Fale do que gosta mais, do que não gosta. Traga o tema para a conversa.

  2. Faça do sexo uma ocasião especial. Ter apenas transas rotineiras é maçante. Combine um dia de irem ao motel, transem de forma inesperada enquanto o filho está fora de casa, façam sexo no chuveiro. Façam coisas diferentes.

  3. Tentem novas posições ou brinquedos para a relação. As mulheres podem investir em lingeries sensuais ou até cursos de strip-tease.

  4. Tirem um dia para um day-spa juntos; aumenta o clima romântico e a intimidade do casal.

  5. Mantenha sua identidade e se cuide individualmente. O parceiro vai perdendo o interesse na medida em que o outro se acomoda e deixa de se cuidar. Sinta-se atraente para que possa ser sempre desejado.

  6. Procure profissionais de saúde e especialistas caso tenha alguma disfunção. Não há idade para sexo e todos podem transar e ter prazer.

  7. Conheça melhor a si mesmo. A masturbação é a melhor forma de saber o que lhe dá prazer.

Fotos de bebedeira, piadas com viés preconceituoso e referências sexuais são obstáculos capazes de arruinar contratação ou carreira na empresa. Veja postagens contraindicadas

Além de serem ferramentas destinadas à comunicação virtual, as redes sociais têm o poder de refletir significativamente na vida real, especialmente na área profissional.

Apesar de certos posts serem feitos por brincadeira, nem sempre as empresas enxergam assim. Muitas seleções incluem análise de perfil em redes sociais e alguns elementos podem pesar negativamente na hora da contratação. “Mesmo existindo um canal que fale de você profissionalmente, como o Linkedin, isso não significa que ‘vale tudo’ em outras redes. A internet é um espaço aberto. Quem acessa suas informações no Linkedin pode muito bem acessar sua conta no Facebook”, afirma Fabrício Saad, especialista em mídias sociais.

0blz6pzvrd17gztpeaitv88uq
Ter cuidado ao expor as próprias opiniões é primordial para causar uma boa impressão na internet

Fabricio cita três tipos de perfis que deixam as empresas com o pé atrás: o crítico de plantão (aquele que passa o dia inteiro  xingando muito fazendo críticas no Twitter, principalmente contra produtos e empresas); o preconceituoso metido a engraçado (permeado de postagens e comunidades de conteúdo preconceituoso, seja de gênero, cor, religião) e o pessimista ou conselheiro (que vê o próprio perfil como um canal de reclamação ou um psicólogo virtual). “Esses temas causam muita polêmica”, explica Saad.

Para Gil Giardelli, web ativista e professor da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), ter cuidado ao expor as próprias opiniões é primordial para causar uma boa impressão na internet. “Todas as empresas estão olhando que tipos de comentários ou de fotos são divulgados nas redes”, diz. Alguns podem dificultar a vida do candidato (ou do funcionário). Veja abaixo quais são.

Posts com referências sexuais e preconceituosas de qualquer tipo podem custar caro. Em 2009, o comediante Danilo Gentili postou a seguinte frase em sua conta do Twitter: “King Kong, um macaco que, depois que vai para a cidade e fica famoso, pega uma loira. Quem ele acha que é? Jogador de futebol?” (sic). Apesar de a intenção de Danilo ter sido fazer rir, a piada também pode ser entendida com um viés racista, comparando os negros a macacos. O resultado foi uma avalanche de críticas, inclusive de colegas de trabalho, gerando uma imagem negativa do humorista.

Posts com informações pessoais de segurança. Publicar endereços pessoais, números de celulares, informações sobre familiares e outras pessoas podem passar a impressão de que você é uma pessoa desatenta. “Não coloque nada que você não colocaria em um outdoor. É difícil ter regras, mas é importante ter bom senso”, explica Giardelli.

Leia mais:
Os sete pecados capitais do Twitter
Notícia boa se espalha com mais velocidade nas redes sociais
9 motivos para você se comportar nas redes sociais

Posts com linguagem pouco educada em discussões. Ao debater com algum colega no mundo real, dificilmente você usaria palavras pesadas. Não pense que o relativo anonimato virtual fornece um salvo-conduto para agir de forma diferente nas redes. O uso de palavras de baixo calão reflete diretamente a sua personalidade. Em vez de partir para a agressão verbal, sustente seu discurso com argumentos consistentes .

Fotos de conteúdo constrangedor , como as que fazem alusões ao consumo de bebidas alcoólicas ou outro tipo de entorpecentes, são pontos muito negativos. Cada um se diverte à sua maneira, mas alguns registros podem ficar longe das telas do computador – e dos olhos do seu possível chefe. É preciso ficar atento não apenas às fotos que você posta, mas também àquelas em que seus amigos o marcam. Há imagens que você pode nem saber que existam e o resultado pode ser desastroso. “Tudo que está na rede, mesmo que na dos amigos, vaza”, conta Gil. Para a consultora de boas maneiras Sofia Rossi, fotos mal colocadas podem passar a impressão de falta de seriedade. “Tirar foto mostrando a língua e fazendo gestos na frente do espelho faz com que a sua postura profissional seja questionada”, acredita.

andawk2peaf9kx2tgq1jka5hc

O torcedor entrou em conflito com o profissional

Posts com comentários que podem prejudicar a empresa de alguma maneira. Um comentário mais exagerado ou uma opinião com teor desrespeitoso pode ter um desfecho amargo. Em 2010, o ex-diretor comercial da empresa Locaweb, Alex Glikas, postou um comentário ofensivo ao time de futebol do São Paulo durante uma partida contra o Corinthians. O inconveniente é que a Locaweb era patrocinadora do primeiro time, e a reação dos torcedores são-paulinos foi de retaliação contra Glikas. A solução da empresa foi demitir o funcionário.

As associações e páginas curtidas no Facebook dão um parâmetro da personalidade e dos pontos de vista do candidato. Portanto, preste atenção nas páginas que você adiciona ao seu perfil: conteúdo criminoso, ofensivo e apelativo são maneiras rápidas de eliminar candidatos.

Redenção virtual

Se você já cometeu algum deslize, Saad ensina que a melhor maneira de reparar o erro é a transparência: deve-se pedir desculpas publicamente, de preferência pelo mesmo canal utilizado. “As pessoas podem entender que você errou, mas querem ver essa atitude. Se você se arrependeu, mostre isso”, explica. A consultora de boas maneiras Sofia Rossi concorda, e diz que é necessário assumir o seu erro. “Se já postou, deixa lá; assuma, peça desculpas e preste atenção para não cometer o mesmo erro”.

Para ter um perfil interessante, Giardelli explica que é necessário começar a propagar coisas que lhe agradam. “Uma dica é a pessoa criar uma linha editorial com o que gosta de falar, sobre o que gosta de compartilhar. Isso facilita para os leitores decidirem ou não seguir o seu perfil. A gente precisa de mais gente interessante, e menos curtidas”.

A dica de Fabrício é ser claro, coerente e sempre postar o tipo de conteúdo que promete. “As pessoas que vão te seguir esperam receber informações a respeito do que está na sua biografia básica”. Uma recomendação valiosa é sempre prestar atenção à gramática e à ortografia. Também seja relevante em suas postagens. “Usar a linguagem segmentada, promover ações de engajamento, de cyberativismo, campanhas sociais são atitudes que têm tudo a ver com esses canais”, finaliza Fabrício.

Fofoqueiros, puxa-sacos e tagarelas: como identificar e lidar com esses perfis no escritório

Um bom relacionamento com as pessoas dentro do ambiente de trabalho é essencial tanto para a carreira como para a qualidade de vida. Mas manter um clima amistoso com os colegas profissionais nem sempre é fácil. Desagradáveis e até mal intencionados, alguns perfis desafiam a convivência com piadas excessivas, reclamações ou mesmo puxando o tapete dos outros. A psicóloga Juliana Saldanha, consultora de recursos humanos do Grupo Soma, orienta sobre as melhores reações. Selecionamos dez comportamentos insuportáveis no trabalho e dicas para lidar com cada um deles:


1. INJUSTIÇADA 

7xbff9q5kju4sghe5rpplf8bv
Eles não gostam de mim

Reclamona, ela tem certeza que os chefes a perseguem – e percebe isso em cada olhar ou comentário. Passa muito tempo “alugando” os colegas com as suas lamentações. É extremamente sentimental e não tem foco no trabalho. Geralmente deixa a desejar profissionalmente, mas, mesmo assim, jura que é muito competente.

“O perseguido é um perfil difícil até porque não se sente assim só no profissional. Se um carro espirrar água de poça nela, também vai achar que é pessoal. Mas fugir das responsabilidades, ser a vitima, às vezes é insegurança”, aponta Saldanha. O segredo é não entrar na onda e começar a reclamar dos chefes também.

2. FALSO BONZINHO

Essa é a equipe mais bonita do prédio

Parece um anjo à primeira vista. Cordial, faz questão de estabelecer boas relações com todos os níveis hierárquicos. Cedo ou tarde você ficará sabendo de intrigas pesadas feitas pelas costas envolvendo o seu nome. Ele vai negar tudo e sair pela tangente. Mas não se engane, mês que vem tem mais!

O famoso “duas caras” é mais um caso de insegurança, segundo a consultora. “Acredita que para crescer não pode ser ele mesmo. Devemos evitar generalizações, mas normalmente essa pessoa tem segundas intenções e quer levar vantagem”, diz ela. Mas não tente desmascarar o “anjinho”. É melhor manter distância.

3. FOFOQUEIRA INCORRIGÍVEL

Tenho uma boa pra contar

Ela parece um radar: está sempre por dentro de tudo que acontece na vida dos outros funcionários e, por isso, não dedica muito tempo ao trabalho. Tende a envolver as pessoas em suas falações e pequenas maldades. Critica a roupa e cabelo das colegas, mas no fundo inveja cada centímetro.

“Falamos que a pessoa tem que ter bom senso, mas isso é relativo porque as experiências de vida são diferentes”, avalia Juliana. Sair de fininho das conversas sobre terceiros é a melhor forma de agir. A fofoca só existe porque alguém está ali para ouvir. “Não precisa dizer que não quer falar com ela, mas sinalize que tem outras prioridades e não seja conivente. Busque neutralidade”, orienta.

4. PUXA-SACO BAJULADOR  

Seu corte de cabelo está incrível

É um clássico no mundo corporativo. Em suas relações, classifica as pessoas por cargos – e o mais humilde não costuma receber atenção. Está sempre pronto para elogiar o chefe, mesmo que sutilmente, e extrai dessa prática a segurança que precisa para continuar empregado.

Nada de fazer igual para ganhar pontos! “Um chefe com vivência maior consegue perceber que está sendo bajulado”, diz Juliana Saldanha. Portanto, ninguém perde pontos para o puxa-saco. Existem pessoas solícitas naturalmente, sem forçar a situação. “Não se iguale nem seja ingênua”, recomenda a consultora.

5. OVERSHARING

Alguém tem remédio para prisão de ventre?

Ela (ou ele) fica falando de coisas que ninguém realmente quer saber – e normalmente num tom de voz que os obriga a isso. Usa o telefone da empresa para discutir com a madrinha, com o atendente da TV a cabo ou com a amiga que insiste em ficar com aquele cara que não a merece.

Se você der a mínima corda, a “oversharing” vai explicar seus problemas em detalhes, sem perceber que você está olhando para o outro lado. No limite, entram em assuntos constrangedores – escatológicos, sexuais, patológicos. “Ambiente corporativo não é consultório sentimental. Mas as pessoas só falam muito porque alguém escuta”, diz Saldanha. Com medo de passar por chato, quem ouve as histórias excessivas nem sempre consegue sinalizar que aquilo invade a liberdade do seu ouvido. A dica é cortar o assunto e não fazer comentários que vão aumentar o diálogo.

6. CARREIRISTA ESPERTINHO

Veja os meus projetos

Está no jogo para ganhar. Ser bem sucedido é quase uma obsessão. Fala o que os chefes gostam de ouvir e não pensa duas vezes ao passar a perna em alguém. Costuma ser competente em suas funções, mas extremamente desleal com os colegas.
A dica aqui é simples: nunca compartilhe ideias e projetos com ele, por mais bacana que possa parecer na mesa de bar. Ele vai roubar seusinsights , não duvide disso. Se apegue aos assuntos genéricos, comente sobre o tempo, o programa de TV, o futebol…


7. ULTRASEXY

“Eu já fui modelo”

Ela “dá mole” para os caras, mas se faz de sonsa e desentendida se algum deles reage. No escritório, todo mundo percebe a paquera com o colega: risadinhas, brincadeiras de mão e outras práticas irritantes dominam o ambiente. Tem certeza que é a garota mais desejada da empresa, e tenta tirar algum benefício disso.

“Provavelmente ela não acredita na sua competência profissional. É preciso que a equipe seja assertiva para mostrar que não gosta daquilo”, recomenda Juliana. E evite qualquer elogio à maquiagem ou roupas que possa inflar ainda mais esse ego.

8. GALÃ OFICIAL

Cheguei, garotas!

Ele não anda pelo corredor, desfila. Não cumprimenta as colegas, joga beijos e piscadinhas. Conta vantagens na hora do almoço para os outros homens e, muitas vezes, mente descaradamente sobre “aquela gata da academia” que nunca existiu.
“Não fique achando que você é a rainha da cocada preta só porque o cara fez uma brincadeira”, diz a psicóloga. Geralmente não é pessoal, esse tipo tende a repetir as gracinhas com todas as outras meninas do andar. Mas se ele extrapolar ou passar dos limites, então expresse seu sentimento com clareza, mas de forma suave. Não é preciso brigar com o garotão bobo e ficar marcada no andar pela sua agressividade.
9. MATRACA SOLTA 

Isso me lembra uma história ótima

Ela não para de falar e tende a ser inconveniente. Faz comentários (geralmente dispensáveis) sobre tudo e atrapalha a concentração dos colegas que querem trabalhar. Em reuniões, os chefes chamam sua atenção por estabelecer conversas paralelas.

Não entre no enredo que a pessoa está contando. Deixe que ela fale (quase) sozinha e mantenha os olhos na tela do computador ou folha do caderno. Dessa forma, ficará claro que você não está disponível e o assunto acaba mais facilmente. “Aos poucos as conversas vão diminuindo”.
10. PIADISTA SEM GRAÇA

Entenderam o trocadilho?

Não fez curso de palhaço, mas quer sempre ser o mais divertido. Tenta copiar o colega engraçado de verdade, que tem timing e boas sacadas, mas nunca consegue. O problema? Ele continua insistindo e torrando a paciência dos colegas com suas piadas tolas.

A principal lição é parar de dar risadas forçadas. O sorriso, mesmo amarelo, prolonga o constrangimento coletivo e dá corda para o falso comediante continuar seu show. “A comunicação envolve as duas pessoas. Se o cara está vendo algum sinal de espaço ali, então vai falar mesmo”, aponta Juliana Saldanha.

A entrevista é a chance perfeita para exaltar suas qualidades e mostrar por que você é o candidato ideal… ou não!

Clique...Ser entrevistado para uma vaga de emprego pode ser estressante. Sentar com um desconhecido para uma conversa de cartas marcadas e que pode definir seu futuro profissional não é exatamente a maneira mais relaxante de passar o tempo.

No entanto, se você conseguir enxergar a situação de um ponto de vista mais estratégico, como uma oportunidade para mostrar o melhor de si mesmo e conhecer um pouco mais sobre o lugar onde pretende trabalhar, verá que talvez naqueles 60 minutos, por mais que eles não sejam os mais divertidos da sua vida, é possível relaxar e evitar algumas armadilhas que podem colocar em risco sua carreira.

Confira quais são os sete principais pecados cometidos por candidatos durante a entrevista e veja quais lições extrair de cada um:

1. A gíria. Evite o uso de gírias e vícios de linguagem. Quase tão importante quanto o que você tem a falar é a forma de fazer isso. Gírias como “tipo assim”, “cara” e “meu”, devem ser abolidas, assim como pausas extensas entre uma frase e outra. “O entrevistador busca objetividade e segurança. É importante falar com clareza e manter a voz firme”, explica Priscila Modesto, consultora de apoio à carreira da agência de empregos Catho.

2. O desconhecimento. Informe-se em relação ao mercado no qual a empresa atua. Mais do que apenas passar no processo seletivo, o entrevistador espera que você se mantenha no emprego por um bom tempo e, sempre que possível, cresça dentro da corporação. Por isso, é importante demonstrar fluência sobre o assunto do qual a empresa trata. “É importante falar a mesma língua do entrevistador”, explica Richeli Sachetti, master coach pela Sociedade Brasileira de Coach.

3. A mentira. Jamais coloque informações falsas no currículo. Pode ser que no momento de elaborar o currículo tenha parecido uma boa ideia dizer que tinha inglês fluente, mandarim avançado e experiência de trabalho em Londres. Mas e se o entrevistador resolve começar a falar em chinês ou perguntar sobre o melhor peixe com fritas da capital londrina? O melhor é não arriscar. “O selecionador possui várias técnicas para saber se o que foi colocado é verdadeiro”, diz Priscila. “Se a mentira for detectada, é possível que não seja falado nada durante a entrevista, mas o candidato vai ser desclassificado na hora”, completa.

Clique...
Nunca coloque informações falsas no currículo. O entrevistador percebe

4. A falta de visão. Uma vez contratado, a empresa espera que as atitudes do funcionário, qualquer que seja o cargo, tenham sempre influência direta na empresa como um todo. Como um organismo vivo, as empresas dependem da participação de todos para florescer. Ter uma visão sistêmica é essencial. “Procure fazer perguntas sobre o funcionamento da empresa como um todo. Tente saber, por exemplo, quais os principais clientes internos e externos”, aconselha Richeli.

5. O atraso. Não adianta colocar a culpa no trânsito, na chuva, na falta de estacionamentos. Se você mora na cidade grande, tem que saber se locomover por ela e fazer o planejamento certo para não se atrasar. A pontualidade é essencial. Segundo Priscila, o atraso pode ser visto como falta de responsabilidade. “Se o candidato não tem pontualidade nem para chegar na entrevista, como vai ser quando tiver que cumprir metas”, diz. Se, no entanto, alguma fatalidade impedir o cumprimento do horário, a especialista explica que é melhor se desculpar ao invés de fingir que não aconteceu.

6. A superficialidade. Um profissional indeciso sobre o próprio futuro pode ser visto como uma contratação de risco. É este o raciocínio que pode nortear o entrevistador ao se deparar com um candidato com resoluções pouco definidas, sem propósito. “O entrevistador quer uma pessoa madura em relação a seus próprios sentimentos”, diz Richeli.

7. A reclamação. Evite críticas exageradas à antiga empresa. Ninguém quer um funcionário reclamão. Ao falar mal do antigo chefe ou de colegas de trabalho, o entrevistador ficará com a impressão de que você terá o mesmo tipo de atitude na próxima empresa. “Procure demonstrar uma atitude positiva, falando, inclusive, bem dos lugares por onde passou”, aconselha Priscila.

Procurar novas colocações, avaliar o perfil da empresa e se colocar na vitrine são atitudes que ficaram mais fáceis com a ajuda da rede

Se uma das suas metas para 2013 é encontrar um novo emprego, corra. De acordo com os especialistas, você já está atrasado. “As posições não deixam de existir por causa do carnaval. Os processos podem ficar mais lentos, mas as empresas já fecharam seus orçamentos para o ano e estão em busca de novos profissionais”, alerta Marcelo Cuellar, gerente executivo da Michael Page, empresa especializada em recrutamento.

7d3f3b4co92lyllpjuilzl6qf
Alvinho Duarte/Fotoarena
A designer de moda Caísa encontrou seu último emprego pelo Facebook

Para ganhar agilidade na corrida por um novo posto, a internet é um ótimo recurso. É uma fonte vasta de pesquisa e de acesso rápido, fácil e, muitas vezes, gratuito. A designer de moda Caísa Cazeiro, 23 anos, encontrou seu último emprego pelo Facebook. “Vi o anúncio na página de uma organização que divulga vagas, a Fundação Mudes. Levei meus documentos, fiz entrevistas e fui chamada”, relata.

A procura, além da rede social, pode ser feita também em sites e blogs específicos – e, em certas áreas, a web é mais efetiva que os impressos. “Na minha área, que é moda, encontro muito mais vagas na internet do que em jornais, por exemplo”, compara a designer. Mas é preciso cuidado com as informações divulgadas, já que nem todas são checadas junto às empresas e muitas são apenas reproduções (nem sempre corretas) de outros murais de vagas. A indicação dos especialistas em recursos humanos é averiguar se o emprego realmente existe (ele pode ter sido preenchido), se as condições são aquelas e se o contato está correto.

Depois desse primeiro passo, a recomendação é preparar-se para falar direto com a organização, procurando conhecê-la. “Como fonte de pesquisa, a web é hoje nosso acesso mais fácil. A internet oferece informações sobre o que estão falando dessa empresa, qual a cultura. A pessoa precisa ser mais curiosa e entender o que existe por trás da oferta de emprego”, afirma Giuliana Hyppolito, consultora de Recursos Humanos e especialista em redes sociais do grupo DMRH. Com essas informações em mãos, as chances de se sair melhor em uma entrevista, demonstrando conhecimento, aumentam.

Para Cuellar, é importante também tentar conhecer o dia a dia do lugar, pesquisar o que é bom e o que é ruim, identificar se a diretriz da organização está alinhada à sua, vasculhar. “Talvez aquele mundo que a pessoa idealizou não seja a realidade, então, se for isso, ainda dá tempo de readequar o caminho. Carreira não é momento, é estratégia”, diz.

Estratégia, ousadia e inteligência

Num segundo momento, as ferramentas disponíveis na internet são essenciais para contatar a corporação. Atualmente, raros são os currículos entregues impressos, a maioria é enviada por e-mail. Mas cuidado com o chamado “currículo panfleto”, aquele enviado a uma lista de e-mails de forma pouco pessoal e direta. “Não é inteligente e tem pouco ou nenhum retorno”, avalia o especialista.

Uma possibilidade mais ousada é tentar contato direto com o gestor daquela vaga. A atitude, no entanto, tem de ser muito bem pensada e realizada com cuidado e perspicácia. “É importante seguir os procedimentos indicados pela empresa, mas é possível fazer uma apresentação direta para o gestor. Esse pode ser um diferencial”, aconselha Sonia Lucia Garcia, especialista em soluções de RH da empresa de consultoria DeBernt. “Tudo depende da estratégia, da ousadia e da inteligência. Conheço histórias de presidentes que receberam e-mails inteligentes e chamaram a pessoa para conversar. O texto tem que fazer a pessoa querer te conhecer e comprovar que você pode somar à organização”, ensina.

Os especialistas são cautelosos, no entanto, quando o meio de contato com um gestor são as redes sociais. Tentar um canal direto pelo Facebook ou Twitter ainda é controverso. “Ainda não é comum no Brasil, mas não vejo problema. A abordagem precisa ser respeitosa, ainda assim o profissional vai ficar à mercê do julgamento do contatado”, acredita Giuliana. “Como tradicionalmente as pessoas utilizam a rede de forma pessoal, então não acho de bom tom. Melhor tentar pelo LinkedIN, que é uma ferramenta para isso”, propõe Cuellar.

Por outro lado, essas ferramentas são primordiais em um aspecto importante para quem está procurando uma nova colocação: o networking . Com elas, fica mais fácil manter as relações com profissionais de outras empresas e ex-colegas. “O mundo, na internet, é um pouco menor. Você pode encontrar pessoas e estabelecer conexões de forma muito rápida”, diz Giovanna. “É preciso ter critério e bom senso, manter a rede sempre ativa e estabelecer uma troca genuína”, alerta Sonia.

Quem quer mudar de emprego ainda esse ano deve ter a internet como aliada, mas nunca depender somente dela. O contato via rede não supre o encontro pessoal. “Nada substitui o contato cara a cara. Você aciona as pessoas para tentar marcar um almoço, um café, ou depois entrar em contato por telefone”, afirma Cuellar.

Fonte: Márcia Mattos Astróloga

VenusVênus é o planeta que representa a função da sedução, do prazer e as escolhas amorosas. Indica quais são os meios que usamos para atrair e agradar alguém (isso não apenas no âmbito amoroso, mas sempre que pretendemos conseguir algum favorecimento ou simplesmente manter um clima prazeiroso). É também Vênus quem decide que alguém ou alguma coisa é agradável e pode ter valor para nós.

Vênus mostra a qualidade da capacidade de amar de uma pessoa, o valor dado ao amor. Mostra também o caminho no qual a pessoa encontrará o amor. A forma individual de encontrar e viver esse amor.

Aqui vamos considerar os contatos de Vênus com Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão. Quando Vênus encontra qualquer um destes, os relacionamentos são vividos de acordo com um padrão específico.

Podemos então falar de 5 Formas de Amar ou 5 Padrões Afetivos:

  • O padrão Júpiter/Vênus
  • O padrão Saturno/Vênus
  • O padrão Urano/Vênus
  • O padrão Netuno/Vênus
  • O padrão Plutão/Vênus


Cada um deles implica uma determinada concepção do amor e em um determinado tipo de escolha de parceiros e de situações amorosas. Aqui, pretendemos traçar a sua Forma de Amar ou o seu possível padrão afetivo, aquele com o qual você mais se identifica o que provavelmente significa que você possui ou está vivendo aquele aspecto planetário. Mas só através do cálculo do seu Mapa Astral é possível determinar os aspectos exatos entre Vênus e os demais planetas.

Os textos que oferecemos é uma oportunidade de reflexão, de conscientização e de contato com algumas características e particularidades sutis de nós mesmos das quais muitas vezes não nos damos conta… o que, aliás, acreditamos ser a verdadeira função da Astrologia. É importante notar que é possível a pessoa se identificar com mais de um destes padrões, pois Vênus pode formar aspectos com diversos planetas ao mesmo tempo.

Clique no tipo de amor que “de cara” parece ser aquele com que você mais se identifica:

Amor Aventureiro
Amor Responsável
Amor Livre
Amor Romântico
Amor Paixão

Amor Aventureiro

É a concepção do amor como algo que traz expansão e crescimento para o indivíduo. É o amor que permite vislumbrar novos horizontes e que deve se manter como constante fonte de estímulos para o desenvolvimento pessoal.
O amor é visto como um sentimento nobre e a expectativa é de encontrar uma parceiro com características quase heróicas.
Situações de prazer e grandiosas manifestações românticas são componentes fundamentais deste padrão amoroso.
Há uma espécie de aversão à estagnação e grande intolerância aos obstáculos e fracassos da vida. É um tipo de amor que dificilmente se sustenta nas adversidades.
Depois de conquistado, este tipo de amor costuma perder grande parte de seu encanto, uma vez que o processo de conquista tende a ser supervalorizado.
A crença de que o próximo parceiro será necessariamente melhor do que o atual faz parte deste modo de conceber o amor como algo capaz de lançar a vida para adiante.
Este mesmo otimismo permite que se abandone as relações sem arrependimentos, culpas, dúvidas ou inseguranças.

Amor Responsável

É o amor exigente, consigo mesmo ou com o outro.
É a concepção do amor como algo que deve ser merecido e para o qual existem pré-requisitos sem os quais é impossível amar ou ser amado.
Não se acredita no amor como um sentimento gratuito que ocorre sem explicação razoável ou sem um motivo específico, obedecendo apenas a lógica do “coração”. Ao contrário, o amor possui regras, padrões, conceitos. É uma estrada de mão dupla onde as exigências podem recair tanto sobre o próprio indivíduo quanto sobre o parceiro(a).
Nesta sentido, o amor é um agente de insegurança que coloca em evidência as falhas e incapacidades daquele que não possua os atributos necessários.
Passa a ser uma vivência desconfortável que nos coloca diante das nossas faltas e nos faz reviver experiências de desafeto e inadequação.
Esta concepção muitas vezes leva o indivíduo a sentir-se incapaz de manter o amor de alguém (uma vez que não possui os encantos necessários) e a aceitar, por assim dizer, “o que aparecer” vivendo relacionamentos frustrantes que somente reforçam sua baixa auto-estima. Ou, ao contrário, excede-se em escolhas e pré-requisitos que normalmente o levam a se afastar da vida afetiva ou a passar muito tempo sem se relacionar afetivamente.
É uma concepção de amor racional, pragmático que não abre espaço para as fantasias e ilusões típicas dos apaixonados.
É o amor compromisso, que espera construir algo concreto em um relacionamento. É o amor responsável, que suporta os deveres e obrigações, consciente dos limites e tolerante com os problemas e momentos de desprazer de uma relação.

Amor Livre

Amor livre, sem vínculos, sem prisões. É o amor vivido em liberdade, sem compromissos.
É o amor que se alimenta da distância, do afastamento. O objetivo desse comportamento é evitar a repetição, o cotidiano, e principalmente a rotina.
A fonte de inspiração amorosa é justamente não saber ao certo o que vai acontecer, não poder prever o futuro daquela relação. As coisas poderem mudar a qualquer momento, é o que dá prazer e interessa em um relacionamento vivido segundo esse padrão.
Diante de qualquer deslize, confronto, problema ou indisposição no relacionamento, ocorre a ameaça de rompimento. A melhor solução parece ser sempre a separação, dificilmente a conciliação.
É um tipo de amor que costuma se dar fora dos padrões estabelecidos (entre pessoas de meios, idades, profissões ou hábitos muito diferentes) e inclusive precisa de um certo toque de rebeldia.
A idéia de “formar um só” ou de que as vidas se misturam é completamente estranha a essa concepção de amor. Ao contrário, há a necessidade de manter-se separado, de conservar sua individualidade, sua integridade.

Amor Romântico

Amor como algo transcendente, como uma união de almas, uma experiência irreal e mágica, algo que não pode ser explicado. Um verdadeiro encontro de “almas gêmeas”.
É o amor cortês que exalta as características do amado e o transforma em um ser inatingível e sublime, digno de adoração. É o amor platônico que não precisa se concretizar para existir.
É um modo de viver o amor que inclui sacrifícios, abnegações e renúncias.
São os amores secretos, que não podem ser revelados, que possuem algum tipo de impedimento e que tem que ser vividos em segredo ou na ausência da pessoa amada.
Esse é por excelência o padrão dos amores impossíveis. Impossíveis porque a pessoa precisa tanto da fantasia, da magia do amor que qualquer relacionamento cotidiano, corriqueiro, cheio dos detalhes banais do dia-a-dia, torna-se intolerável ou frustrante.

Amor Paixão

É o amor intenso, profundo, incontrolável.
O amor é visto como uma experiência capaz de transformar e modificar radicalmente a vida.
É um tipo de amor que não admite meios-termos ou superficialidades.
É o sentimento capaz de nos fazer entrar em contato com o mais profundo, obscuro e insondável em nós. O amor pode, assim, ser revelador de parcelas desconhecidas e despertar “anjos e demônios”.
Nesta concepção, o amor jamais é uma vivência leve, suave, amena. Ao contrário, ele é grave, repleto de armadilhas e pode facilmente transformar-nos em reféns.
O ciúme é um elemento necessário nesta combinação. Sem ciúme, não há amor.
As tentativas de controle, manipulações e lutas de poder fazem parte desta concepção, onde o medo de perder o parceiro(a) torna-se uma ameaça constante.

Esta procurando EMPREGO? Aqui é o lugar perfeito
para encontra-lo! A Manager tem Milhares de Vagas 
com Salários incríveis em Todo Brasil e no Exterior.
CADASTRAR-SE AGORA: http://tinyurl.com/brml4wz
e Receba JÁ sua oferta de emprego! Não perca essa oportunidade!
Reblog this post [with Zemanta]

O que há um tempo atrás era considerado um escândalo, hoje é visto como algo normal por algumas pessoas. Tanto é que na novela Avenida Brasil, o núcleo do personagem Cadinho (Alexandre Borges) é um dos maiores sucessos. Ele mantinha, ao mesmo tempo, três famílias, sem que uma soubesse da outra. Depois de toda a verdade vir à tona, a solução encontrada por elas foi dividir legalmente o marido entre as três. Coisa de novela? Que nada! Na vida real tem gente que também é adepto desse tipo de relação.

Na cidade de Tupã, interior de São Paulo, um homem e duas mulheres resolveram oficializar a relação em cartório depois de três anos convivendo sob o mesmo teto. A tabeliã do local reconheceu a união em escritura pública (possivelmente a primeira do país a tratar de uniões poliafetivas) que envolve os direitos e deveres das três pessoas, da eventual dissolução da união, bem como da divisão de bens em caso de separação ou morte, e outras questões jurídicas.

Inusitado e, ao mesmo tempo, complicado. A psicóloga e psicoterapeuta Natércia Tiba, autora do livro Mulher Sem Script (Ed. Integrare), diz que, por vivermos numa sociedade monogâmica, viver com duas mulheres é certamente algo que sai do padrão e dos valores com os quais crescemos. “Por mais que as pessoas decidam racionalmente ter um relacionamento poligâmico com duas ou mais mulheres, acredito que existam questionamentos internos significativos, que podem gerar um grau de ansiedade e angústia. Sabemos o que esperar de relacionamentos monogâmicos, mas qual o lugar de cada um num relacionamento poligâmico? Em termos históricos e sócio-culturais, não temos essa referência e isso pode dificultar a relação. Uma mulher que “divide” o marido não pode contar com fidelidade e exclusividade, por exemplo”, afirma.

Ela acredita que, na nossa sociedade, dentro do contexto em que vivemos, o relacionamento de um homem e duas mulheres certamente tem muitos desafios, questionamentos, angústias, mas, se for uma opção consciente, refletida, e clara das três partes, pode dar certo. “Mas temos que questionar o que é dar certo. É permanecer junto? Ser feliz junto? Um relacionamento pode ser longo (para sempre, até), mas não ser saudável, ou seja, gerar um grande sofrimento para uma das partes ou para ambas. Vejo as relações saudáveis como aquelas que despertam o melhor em nós, que nos fazem felizes. Há um grau de sofrimento sempre, mas, para que seja saudável, devem predominar os momentos bons”.

 

E quando uma mulher descobre que seu marido tem outra pessoa, ou mesmo outra família, será que, para não perdê-lo, vale a pena aceitar e viverem todos juntos, como na novela? Para a psicóloga, não há uma melhor forma de agir, pois quando a mulher descobre uma situação de infidelidade, agirá de acordo com seus valores, princípios, sentimentos, contexto em que está inserida, autoestima e pelo tipo de relação que tem com o marido. Há situações em que a traição é vivida de forma tão traumática, que inviabiliza a continuidade do casamento, mas há situações em que é uma crise a ser superada e, após o momento crítico, o casal cresce e o casamento se fortalece. Pensar na infidelidade como um ato isolado é muito reducionista. É necessário pensar no contexto e nas partes envolvidas.

 

Já a proposta de inserir uma terceira pessoa na relação é diferente. “Nesse caso, é como se houvesse a possibilidade de um acordo ou não. O mais importante é que a mulher possa pensar nisso de acordo com seus sentimentos, e não pressionada ou angustiada pelo medo de perder o marido. Uma aceitação desse tipo não é saudável, porque passa a ser uma imposição pela falta de estrutura emocional da relação ou da mulher. Mas, de qualquer forma, aceitando ou não, se o homem faz essa proposta surge uma grande oportunidade de conversar sobre a relação: como está o relacionamento, como as partes se sentem, o que significa esta proposta, o que o casal pode melhorar na relação e pode chegar à conclusão juntos de incluir ou não mais uma pessoa”, observa.

 

Ela afirma que uma relação a dois é menos complexa do que uma relação a três, e diz que foi positivo a novela ter mostrado, por um tempo, o homem se dando bem em uma relação com três mulheres e, depois, ter mostrado também ele se dando mal por não conseguir conciliar tudo. “A TV tem um enorme poder sobre a sociedade de modo geral. Acho muito bom quando a usam para passar informações importantes como questões de saúde, sociais, bons modelos de relacionamento. Quando mostra uma situação complexa como essa, deve haver uma responsabilidade social de mostrar o maior número possível de visões e possibilidades, para que seja uma situação que desperte reflexão e que não se torne um modelo de relacionamento”, finaliza.

Sexo Oral | Fantasias Sexuais

Fantasias sexuais pode até parecer um assunto comum, mas ainda há muitos casais que não falam sobre elas. Ainda existem casais cheios de desejos, fantasias e vontades reprimidas por pura falta de diálogo.

O primeiro passo para realizar uma fantasia com alguém que você gosta é falar com essa pessoa sobre o assunto. Se você não sabe por onde começar, elaborei um post para te ajudar a laçar a fera. Afinal, não é tão simples quanto parece.

Antes de ler o post sobre como tratar do assunto com o seu gato ou a sua gata, é importante que você não fique se achando diferente só por causa da sua fantasia. Um grande passo para falar naturalmente sobre a sua fantasia é parar de julgar-se em virtude dela.

As fantasias sexuais são ótimas para fortalecer a relação, através do estreitamento dos laços de intimidade. Também fazem com que você se sinta mais desejada(o), alimentando sua auto-estima. Em suma, faz você se sentir bem e pode até dar um “up” na sua saúde.

Fantasias Sexuais: como falar sobre elas

Sexo Oral | Fantasias SexuaisSe quando o assunto é fantasias sexuais paira uma nuvem negra sobre sua cabeça, este post foi feito pra você. Ninguém gosta de vestir a mesma roupa todo dia, nem de almoçar sempre o mesmo prato. Por que achar que alguém gostaria de fazer sexo sempre do mesmo jeito? Propor alguma coisa nova não mata ninguém. Mas se seu parceiro é um “cabeça-dura”, vale a pena ler tudinho antes de arriscar um susto na figura.

Antes de pensar em tocar no assunto, é importante que você mesma saiba se o que tem na cabeça é uma proposta ou apenas uma idéia qualquer na tentativa de solucionar um problema que chamarei de rotina sexual. Se for apenas uma idéia, dentre tantas outras possíveis com o objetivo de sair da rotina sexual, ai devemos observar outra perspectiva.

Se o que você quer é sair da rotina sexual, não importando exatamente o quê vocês vão fazer, seria melhor tentar tocar nesse assunto aos poucos, sem tentar introduzir alguma idéia que possa parecer absurda ao seu parceiro. Assim você não corre o risco de assustá-lo, nem de piorar a situação. Tente algumas estratégias para quebrar o gelo, para retomar a intimidade do casal, etc.

Mas se você tem uma ou mais fantasias de verdade, daquelas com que você sonha acordada, sempre imaginando a mesma cena, aí sim você deve arriscar um papo sobre esse assunto com seu parceiro. Mas, ainda assim, tomando algumas precauções. Lembre-se de que nem todas as fantasias precisam ser realizadas. Mas se você acha que não consegue conviver com isso e precisa matar essa vontade, aí vão as precauções:

Sexo Oral | Fantasias SexuaisAntes de qualquer coisa, é preciso conhecer seu parceiro, saber se ele é do tipo reservado e mais tradicional, descontraído e mais disponível à prática de novas idéias ou do tipo tímido e ao mesmo tempo curioso. Talvez o seu parceiro tenha um tipo único, só dele, e cabe a você descobrir a melhor forma de lidar com ele.

Conversando sobre o assunto

Antes de se atrever a abrir a boca para fazer qualquer proposta, seja esperta e sonde as preferências do gato sem demonstrar nenhum interesse específico. Converse, pergunte sobre as coisas que ele gosta, deixe que ele fale e fale você também sobre seus desejos e fantasias, mas nada de detalhes. Fale com naturalidade sobre o que você gosta na hora do sexo, mas não fale ainda sobre aquela fantasia.

Dê tempo ao tempo

Sexo Oral | Fantasias SexuaisAnalise a reação dele com relação à conversa de vocês, dê tempo ao tempo, espere alguns dias e observe se o comportamento dele mudou, se ele fez alguma das coisas que você havia comentado que gosta, se ele tentou te agradar fazendo alguma das coisas que citou na conversa. Ceda e agrade-o também, fazendo algumas coisas de que ele gosta.

Se a conversa surtiu algum efeito e ele estiver disposto a melhorar a qualidade do sexo, você vai notar alguma mudança em seu comportamento… Tentativas, ainda que singelas, de fazer algo por vocês. Se isso acontecer, siga em frente. Caso contrário, é melhor repensar a estratégia e voltar ao ponto em que afirmo que é importante conhecer seu parceiro. De repente, não vale a pena arriscar essa conversa se ele for muito tradicional, pois pode criar uma resistência ainda maior a esse tema.

Direto ao ponto

Chega de enrolação. Chegou a hora de desembuchar, botar pra fora. Mas muita calma nessa hora… Até pra ir direto ao ponto existe um jeitinho. Se você não souber como se expressar, pode colocar tudo a perder. Jamais se atreva a falar sobre esse assunto enquanto estão no sofá da sala vendo TV ou jantando. Espere um momento mais íntimo. Comece a falar, esperando sempre uma brecha, e deixe que as palavras venham naturalmente. Fale sobre a fantasia que gostaria de realizar, estimule a imaginação dele, vá analisando as reações dele enquanto você fala.

Sexo Oral | Fantasias SexuaisJamais coloque algum conhecido no meio da conversa. Existem diversas fantasias sexuais, as mais loucas e inusitadas situações. Mas uma coisa é ele saber que você sonha em transar com ele e um estranho ao mesmo tempo; outra é ele saber que você sonha em realizar isso com um colega seu de trabalho, por quem você sente algum tipo de atração. Se for inevitável e fizer parte de sua fantasia, fale de características e atributos que você gostaria que essa terceira pessoa possuísse e jamais dê uma identidade a ela, a não ser que seu parceiro se mostre favorável.

Só entre em detalhes se ele demonstrar interesse. Caso ele faça cara feia, é melhor mudar de assunto e esperar um pouco mais para uma nova tentativa. É preciso também respeitar os limites do parceiro e ter “desconfiômetro” para saber quando esse limite foi atingido. Passar desse ponto sem que o parceiro tenha vontade pode significar um prazer momentâneo e o comprometimento irreparável da intimidade do casal.

Vai ou não vai?

Mesmo que o parceiro demonstre interesse e se posicione favorável, não fique cobrando uma data exata para acontecer. O fato de ele ter topado não significa que ele esteja pronto para se ver naquela fantasia a qualquer momento. Vá com calma, ele já topou. Vá trabalhando a intimidade de vocês e cedo ou tarde ele vai tocar no assunto com interesse na realização.

Aproveite as dicas, realize suas fantasias e não se esqueça de demonstrar interesse pelas fantasias dele. Você pode se surpreender com os resultados…


+ Dicas de Mulher!

Twitter Facebook RSS

Contato / Anuncios

Artigos Especiais

Posições Sexuais - Variações na Hora do Sexo

Aprenda como apimentar sua relação na hora do sexo, super dicas!

69 Dicas sobre Sexo para Elas e Eles

Todo mundo gosta e todo mundo quer fazer melhor!

+69 Dicas de Sexo por ELAS!

Agora são elas que falam e dão essas maravilhosas dicas!

Como lavar bem os cabelos

Conheça várias dicas legais para você aprender como lavar bem os cabelos!

Como Eliminar a Celulite

Aprenda como se livrar das indesejáveis Celulites!

Tratamento de Estrias

Aprenda como evitar e como acabar com as Estrias

Lingerie Sensual

Conheça todo o poder que a lingerie sensual pode ter no relacionamento amoroso!

Convites de Casamento

Saiba tudo o que você precisa sobre convites de casamento. Exemplos, dicas, modelos e muito mais!

Sapatos de Noivas

Aprenda a escolher o sapato ideal para usar em seu casamento. Várias dicas importantes!

Sapatos Coloridos

Fique por dentro dessa moda que está fazendo os pés das mulheres: os sapatos coloridos!

Dieta da Sopa

Conheça a dieta da sopa e aprenda como emagrecer até 4kg por semana! Aprenda a receita da sopa de repolho!

Dieta do Chá Verde

Conheça a dieta que faz você emagrecer 5kg em 15 dias! Modo de preparo e muito mais...

Como tirar manchas na pele

Conheça os diversos tipos de manchas e quais as melhores formas de tratamento para manchas na pele!

Celulite

Tudo o que você queria saber sobre celulites! O que é, como evitar e as melhores formas de tratamentos!

Queda de Cabelo em Mulheres

Tudo sobre queda de cabelo em mulheres. Conheças as principais causas e os melhores tratamentos.

Cortes de Cabelo

Confira diversas sugestões de cortes de cabelo para mulheres. Cortes longos, curtos...

Olheiras

Entenda porque surgem olheiras, saiba como previnir e como eliminá-las.

Tratamento de Estrias

Fique por dentro dos melhores tratamentos para estrias e saiba como evitá-las.

Escova Marroquina

Saiba tudo sobre a alisamento capilar marroquino. A escova que está fazendo a cabeça das mulheres!

Pílula do Dia Seguinte

Tudo o que você precisa saber sobre a pílula do dia seguinte: como tomar, efeitos colateriais, preço e muito mais!

Sintomas da Gravidez

Saiba aqui quais são os principais sintomas da gravidez! Sintomas da gravidez na primeira semana e no primeiro mês

Anticoncepcional

Aprenda a escolher o melhor método anticoncepcional para você! Saiba tudo sobre pílula anticoncepcional!

Depilação

Confira um artigo com tudo sobre depilação! Métodos, prós, contras e muito mais! Depilação a laser, com cera, lâmina e outros.

Como escolher Óculos

Dicas e truques para ajudar você a escolher o óculos ideal para seu rosto!

Maquiagem passo a passo

Aprenda a fazer maquiagem para noite, para o dia a dia, corretiva e muito mais. Vídeo aulas ensinando do começo ao fim!

Como fazer sobrancelha

Confira importantes truques e dicas na hora de fazer a sobrancelha. O que você deve ou não fazer.

Limpeza de Pele

Aprenda a fazer uma boa limpeza de pele caseira. Confira links super interessantes sobre o assunto.

Escova Progressiva

Selecionamos informações úteis sobre os diversos tipos de escovas progressivas existentes no mercado! Confira e fique por dentro do assunto.

Hidratação Caseira

Confira dicas para cudiar da sua beleza no conforte de sua casa! Hidratação para pele, cabelos e muito mais!

Método Pilates

Saiba tudo que você precisa sobre esta maneira de ficar bem com seu corpo. Informações básicas, lista de benefícios e outros.

Unhas Decoradas

Aprenda a decorar unhas! Vídeo aula com passo-a-passo, dicas na hora de fazer o desenho e muito mais.

Guia de Lua de Mel

Dicas essenciais para que sua viagem de lua-de-mel seja perfeita! Informações úteis, roteiros exuberantes e muito mais.

Silicone: aumento dos seios

Selecionamos aqui as melhores informações sobre a cirurgia de implante de silicone nos seios. Tire todas as suas dúvidas sobre esse tipo de cirurgia.

Refrigeradores e Geladeiras

Confira dicas super importantes para te ajudar na hora de escolher um refrigerador novo. Veja também algumas fotos de modelos que estão à venda nas melhores lojas.

Colesterol

Saida tudo que você precisa sobre o colesterol: causas, tratamento, prevenção. Reunimos diversos links com informações sobre esse tipo de gordura.

Penteados para Noivas

Confira aqui diversos modelos e dicas de penteados para você arrasar em seu casamento!

Tudo sobre Biquinis

Arrase nesse verão! Veja nossas dicas espertas para você escolher o biquini ideal para o seu corpo.

Acabe com a acne!

Conheça neste nosso artigo especial os principais tratamentos de acne existentes no mercado. Esfoliação da pele, tratamento hormonal, retinoides e outros.

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: